O que é Deficiência Intelectual?

O que é Deficiência Intelectual?

A deficiência intelectual é caracterizada pelo funcionamento cognitivo que não corresponde à média esperada, ou seja, que esteja abaixo do que é considerado normal. A dúvida de pais e mães se deve aos campos que podem ser direta ou indiretamente afetados pelo desempenho cerebral da criança, por exemplo.

A questão em si não deve se pautar pela suposição, mas pela certeza de um diagnóstico que seja certificado por um profissional de saúde. Por se tratar de uma limitação que atinge determinadas habilidades da pessoa, é sempre bom lembrar que os casos devem ser analisados de forma isolada pelas peculiaridades que cada paciente tem.

Quais são as causas?

A comunidade médica não trabalha com apenas uma linha de pesquisa para a deficiência intelectual. Pode-se perceber que ela deriva de um aspecto multifatorial, não necessariamente em uma pessoa, mas os diagnósticos de maneira generalizada.

Isso significa que uma criança, cujo resultado tenha sido positivo para a deficiência, apresenta essa característica no desempenho por um ou dois motivos; dos mais variados possíveis. Há que se lembrar que o transtorno tem como ponto de partida o fato de caracterizar uma alteração no desenvolvimento do cérebro do paciente. As causas podem ser originadas, então, por fatores genéticos, problemas ocorridos durante o parto ou na gestação.

Ações preventivas

Há casos que podem ser evitados. Depois do nascimento também existem riscos de o bebê manifestar alguma deficiência intelectual. Um exemplo que muitos pais e mães não sabem é que a exposição ao mercúrio (presente no peixe) pode simbolizar um perigo iminente ao feto, em se tratando do período da gravidez.

Entretanto, após o nascimento, é aconselhável que a criança não se alimente de peixes ricos em mercúrio. Durante a amamentação, é ideal que a mãe também passe longe dessa carne.

Outra ação preventiva é seguir à risca todas as recomendações médicas que o pediatra de sua criança sugerir, assim como as vacinas indicadas pelo profissional. Lembre-se que uma atitude por seu filho faz toda a diferença. Contudo, os casos citados acima servem para aqueles bebês que não receberam o diagnóstico ao nascer.

Sinais indicativos de deficiência intelectual

Quando a criança está acima de 2 anos, ela demonstra familiaridade com algumas atividades e brincadeiras e demonstram reconhecimento das pessoas que fazem parte de seu convívio. Na vida escolar, os pequenos manifestam suas habilidades psicomotoras e pedagógicas. Porém, há sinais que podem indicar que algo não está dentro da normalidade. Vejam alguns abaixo:

  • Falta de interesse pelas atividades dadas em sala de aula;
  • Pouca interação com os colegas e com a professora;
  • Dificuldade em coordenação motora (grossa e fina);
  • Dificuldade para identificar letras, desenvolver a fala de maneira satisfatória (a comunicação é uma das faculdades afetadas);
  • Dificuldade em se adaptar aos mais variados ambientes;
  • Quando a criança perde ou esquece o que já havia aprendido (e demonstrado habilidade);
  • Outros.

Diagnóstico e tratamento

Como dito anteriormente, o diagnóstico deve vir de um profissional da área da saúde, mas o tratamento pode ser realizado por meio de uma equipe multidisciplinar, ou seja, de várias áreas: psicologia, fonoaudiologia, pedagogia, psicopedagogia, terapia ocupacional e muito mais.

 

Fonte: Neurosaber